quinta-feira, 28 de outubro de 2010

PARTICIPEI DO 2º DIA DA ix JORNADA WESLEYANA... UNIMEP

 MEMÓRIAS E DOCUMENTOS:
A pesquisa em educação metodista para o século XXI

Centro Cultural Martha Watts - IX Jornada Wesleyana

 
Hoje participei integralmente do 2º dia da IX Jornada Wesleyana promovida pela Faculdade de Ciências da Religião da Universidade Metodista de Piracicaba e o Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Metodismo e Educação (NEPEME), em parceria com o Grupo de Pesquisa Educação e Protestantismo do CNPq. Esta Jornada foi parte integrante do 8ª Amostra Acadêmica da Unimep. Fiquei feliz, porque vi outros irmãos e irmãs de minha comunidade local (Catedral Metodista de Piracicaba) participando do evento.


Max Monteiro, Cida Rossi e Ana Maria


MESA REDONDA
No período da manhã, após o momento devocional, ouvimos duas palestras.
 

A primeira palestra, proferida pelo Prof. Dr. HELMUT RENDERS (FATEO/UMESP), refletiu sobre o Credo Social da Igreja Metodista. Eu já tive a oportunidade de ouvi-lo trabalhar este tema em outros momentos, bem como já li alguns de seus textos, mas o interessante é que ele sempre apresenta aspectos novos sobre sua pesquisa quanto ao tema. Hoje, após apresentar as fontes históricas e teológicas do credo social, apontando principalmente o movimento do Evangelho Social, ele fez um destaque especial à interpretação dada pelo pastor Washington Gladden, que apresenta a religião como AMIZADE com Deus e com os homens. Esta percepção de que o cristão deve ter amizade para com o outro, não somente com Deus, fortalece a idéia de se ter um credo que possa declarar qual a visão cristã para a sociedade.


A segunda palestra, ministrada pelo Prof. Dr. ELIAS BOAVENTURA (PPGE/UNIMEP), com o título Conflito Institucional: Por que a Unimep e a Igreja Metodista não se entendem, apresentou como primeira hipótese para o conflito entre as duas instituições o fato de terem natureza e objetivos diferentes. Em sua segunda hipótese, afirmou que este “conflito não pode ser atribuído tão somente à capacidade dos gestores das duas instituições ou da deliberada intransigência da Igreja Mantenedora”. Fazendo uso das ferramentas próprias das ciências históricas, o Prof. Elias Boaventura defendeu a tese de que o conflito entre estas duas instituições é estrutural e se dá pela diferença de expectativas quanto ao projeto educacional a ser promovido na Universidade. Sua conclusão, a qual ele chamou de incloncusa, foi fenomenal: “Conversar, conversar até a exaustão. Que não podemos nos permitir, é o nosso confortável ninho, ou se quiserem, nossa agradável sina, da qual não podemos abrir mão, por estarmos fadados à instabilidade”.

DEBATE SOBRE A MESA REDONDA
Logo após as exposições, tivemos a oportunidade de dialogar com os preletores. Coordenou o debate o Prof. Ms. Luis Cardoso – Secretário Executivo do COGEIME. Foi um momento muito rico de troca de experiências e de aprofundamento dos temas apresentados.



PALAVRA DO REITOR - PROF. DR. CLÓVIS PINTO DE CASTRO




Após o debate, foi passada a palavra ao Prof. Dr. Clóvis Pinto de Castor, Reitor da Unimep que fez algums ponderações sobre as exposições feitas e as contribuições dos participantes.


PAUSA PARA O ALMOÇO


Alguns participantes almoçaram juntos em restaurante próximo ao CCMW.


APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

Tal como no dia anterior, o período da tarde foi dedicado à apresentação de trabalhos por vários pesquisadores. Os resumos abaixo foram retirados do folder da Jornada. O primeiro a apresentar o trabalho foi Prof. Dr. Ismael Forte Valentin, sucedido pelo Rev. Omir Wesley de Andrade que após apresentar seu resumo convidou todos a cantarem algumas estrofes dos hinos apresentados em seu estudo. O terceiro a apresentar foi o Prof. Dr. Edivaldo José Bortoleto. O professor Helmut, que iria apresentar um trabalho, propôs que o professor Edvaldo fizesse uso do seu tempo para aprofundar sua exposição. Em comum acordo, os dois assumiram o tempo restante, apresentando de forma dialogal o tema, já que o prof. Helmut é um estudioso da teologia wesleyana. Foi um momento riquíssimo.


ISMAEL FORTE VALENTIN


Título: A Educação Metodista no Brasil e suas (in) tensões

Resumo: Tendo como fio condutor o binômio Educar e Evangelizar, o trabalho procura observar, entre outras, a motivação, a expectativa e a execução do projeto missionário da Igreja Metodista Episcopal dos Estados Unidos. Com base em artigos e matérias publicados no Expositor Cristão, ainda que não necessariamente representassem a opinião oficial da Igreja Metodista (apesar de ser o Órgão Oficial de comunicação, nos Registros das Conferências Anuais e nas Atas e Documentos dos Concílios Gerais da Igreja Metodista), esses são entendidos como palavra oficial da denominação e neles a pesquisa busca identificar a intenção missionária norte-americana em terras brasileiras a partir da segunda metade do século XIX.

 
OMIR WESLEY ANDRADE

Título: Os Hinos de Carlos Wesley e sua influência na hinologia do metodismo brasileiro

Resumo: O texto se propõe a examinar crítica e exegeticamente o conteúdo teológico da poesia de Charles Wesley nos hinos a ele atribuídos, e que constam do Hinário Evangélico. Este exercício, ao mesmo tempo de hinologia e de teologia, é feito a partir de uma análise exegética comparativa entre a tradução destes hinos e a poesia original de Charles Wesley. O texto constata, finalmente, que a hinologia metodista e, por extensão, aspectos fundamentais da própria Teologia do Metodismo – não é suficientemente conhecida pelo “povo chamado metodista” e propõe algumas “pistas missionárias” para suprir esta lamentável lacuna.


 
video
 
 
 
 
 
EDIVALDO JOSÉ BORTOLETO

Título: John Wesley e Afonso Maria de Leguori: a fé que se afirma no século das Luzes

Resumo: Estudo comparativo e de aproximação de dois pensadores do Século das Luzes: John Wesley e Afonso Maria de Leguori, num gesto de diálogo ecumênico. O objetivo é reconhecer que ambos sustentaram, cada um no âmbito de sua tradição religiosa e filosófica o pensamento patrístico e escolástico no século XVIII.



 VISITA AO NEPEME
O grupo foi convidado a visitar o nepeme, a sala Sante Uberto Barbieri e a exposição.



FOTOS

Hoje eu levei minha já surrada SONY para tirar algumas fotos do evento, porém, ontem, eu não estava com ela em mãos e só me foi possível disponibilizar as fotos na reportagem anterior graças aos estagiários do Centro Cultural Martha Watts, Lucas Bonatto Guerrini e Aline Cristina Basso, pessoas boníssimas e muito prestativas. Aproveito aqui para homenageá-los pelo trabalho realizado e agradecer a dedicação... PARABÉNS!


Lucas Bonatto Guerrini
Aline Cristina Basso
 
 
 
AGRADECIMENTOS À PROFA. DRA. ROSA MENEGHETTI
Agradeço a Professora Rosa pelo convite e lembrete desta importante Jornada... Valeu!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...