segunda-feira, 22 de novembro de 2010

SERMÃO: Salmo 136 (Dia Nacional de Ação de Graças)

INTRODUÇÃO:

Na próxima quinta-feira é o Dia Nacional de Ação de Graças. Motivado por esta data o ministério de liturgia de nossa igreja local preparou um programa especial alusivo a esta data: DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS.

Após nossas reuniões de preparação do culto, fui me preparar e preparar a mensagem do culto. Comecei a pensar que palavra seria relevante numa celebração como esta.Lembrei-me então do Salmo 136, um hino de louvor.

Ele é conhecido como o “Grande Louvor”, e fazia parte da liturgia das grandes festas judaicas (Ano Novo, Tabernáculo e Páscoa). Ele é uma litania responsiva, onde se pressupõe um diálogo entre dois grupos ou uma pessoa e um grupo que repete sempre o mesmo refrão: “porque a sua misericórdia dura para sempre”.

A estrutura do Salmo é de introdução, corpo e conclusão, sendo que o corpo pode ser dividido em 4 momentos:

TEXTO: Salmo 136

INTRODUÇÃO: Repete três vezes o mesmo convite: “Rendei graças”, ou seja, celebrem.: 1) “Javé” – temos aqui a nome de Deus – o tetragrama sagrado, um nome impronunciável – contar a experiência da sinagoga em Campinas. 2) “Deus dos Deuses”. 3) Senhor dos Senhores”.

1 Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.

2 Rendei graças ao Deus dos deuses, porque a sua misericórdia dura para sempre.
3 Rendei graças ao Senhor dos senhores, porque a sua misericórdia dura para sempre;


CORPO

1º MOMENTO: Fala das maravilhas que só Deus pode fazer. São apresentadas três ações: Fez os céus com inteligência, firmou a terra sobre as águas e fez os grandes luminares. O céu, a terra, o sol e a lua (considerados deuses pelos outros povos), são criaturas de Deus.



4 ao único que opera grandes maravilhas, porque a sua misericórdia dura para sempre;
5 àquele que com entendimento fez os céus, porque a sua misericórdia dura para sempre;
6 àquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua misericórdia dura para sempre;
7 àquele que fez os grandes luminares, porque a sua misericórdia dura para sempre;
8 o sol para presidir o dia, porque a sua misericórdia dura para sempre;
9 a lua e as estrelas para presidirem a noite, porque a sua misericórdia dura para sempre;
2º MOMENTO: Continua celebrando as maravilhas de Deus, só que agora na história do povo. São citadas algumas ações de Deus na libertação do Egito.


10 àquele que feriu o Egito nos seus primogênitos, porque a sua misericórdia dura para sempre;
11 e tirou a Israel do meio deles, porque a sua misericórdia dura para sempre;
12 com mão poderosa e braço estendido, porque a sua misericórdia dura para sempre;
13 àquele que separou em duas partes o mar Vermelho, porque a sua misericórdia dura para sempre;
14 e por entre elas fez passar a Israel, porque a sua misericórdia dura para sempre;
15 mas precipitou no mar Vermelho a Faraó e ao seu exército, porque a sua misericórdia dura para sempre;
3º MOMENTO: Continua falando das maravilhas de Deus na história, só que agora aborda o tempo do deserto e da posse da terra prometida.



16 àquele que conduziu o seu povo pelo deserto, porque a sua misericórdia dura para sempre;
17 àquele que feriu grandes reis, porque a sua misericórdia dura para sempre;
18 e tirou a vida a famosos reis, porque a sua misericórdia dura para sempre;
19 a Seom, rei dos amorreus, porque a sua misericórdia dura para sempre;
20 e a Ogue, rei de Basã, porque a sua misericórdia dura para sempre;
21 cujas terras deu em herança, porque a sua misericórdia dura para sempre;
22 em herança a Israel, seu servo, porque a sua misericórdia dura para sempre;
4º MOMENTO: Continua descrevendo as grandes maravilhas de Deus por seu povo, porém sem especificar o momento histórico.


23 a quem se lembrou de nós em nosso abatimento, porque a sua misericórdia dura para sempre;
24 e nos libertou dos nossos adversários, porque a sua misericórdia dura para sempre;
25 e dá alimento a toda carne, porque a sua misericórdia dura para sempre.
CONCLUSÃO: Inspirada na introdução retoma o convite ao louvor, e a resposta do grupo: “porque sua misericórdia dura para sempre”.



26 Oh! Tributai louvores ao Deus dos céus, porque a sua misericórdia dura para sempre.

CONCLUSÃO:

Acredito que assim como no salmo, nossa igreja e cada um de nós passamos por momentos dos mais diversos em nossa história.

Há momentos que parecemos estar vivendo as opressões do Egito. Mas aí nos lembramos da misericórdia do Deus que pode nos libertar. Por isso podemos render graças.

Mas ao sermos libertados do Egito, acabamos caindo no deserto. Quantas vezes parecemos viver num deserto. Mas aí vem a lembrança, do Deus misericordioso que pode nos livrar do deserto e nos estabelecer na terra prometida. Por isso, podemos render graças ao Senhor.

Seja qual for o momento que estejamos vivendo, somos convidados a render graças ao Senhor.

Se for um tempo de grande alegria, regozijemo-nos. Estamos alegres e felizes, não porque somos melhores que ninguém, mas pela misericórdia de Deus. Ele é quem nos permite usufruir dessa benção. Por isso podemos render graças.

Se estamos passando por momentos difíceis. Se estamos experimentando a opressão do Egito ou o deserto, podemos então nos lembrar que Deus é misericordioso e nos ajudará a passar por estas tribulações. Por isso já antecipamos o nosso louvor. Ele já nos livrou em outros momentos, e poderá fazê-lo novamente.

PORTANTO, em tudo daí graças!

Rev. Paulo Dias Nogueira
Catedral Metodista de Piracicaba
Culto – Dia Nacional de Ação de Graças (2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...